Fórmula da eficácia da recolha: Como calcular?

A gestão adequada da cobrança de dívidas tornou-se uma prioridade máxima para as empresas num mundo em que o fluxo de caixa e a estabilidade financeira são essenciais para o crescimento e a sobrevivência.

Uma fórmula eficaz de cobrança de dívidas é uma ferramenta poderosa que permite às organizações enfrentar de forma estratégica e eficiente os desafios relacionados com a cobrança de activos pendentes.

Neste artigo, vamos explorar em profundidade a fórmula de eficácia da cobrança de dívidas e os seus benefícios significativos para empresas e credores. Iremos descobrir como calculá-la, os seus componentes, os seus benefícios e muito mais. Embora a cobrança de dívidas possa ser um território complicado e sensível, saber como utilizar esta fórmula pode fazer a diferença entre a estagnação e o progresso financeiro.

Antes de começar, se quiser saber exatamente o queé a cobrança de dívidas, clique na ligação.

O que é a fórmula da eficácia da cobrança?

Fórmula: Índice de eficácia de cobrança (CEI) = [(Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Contas a receber finais) / (Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Vendas incobráveis no final do período atual)] × 100

A “Fórmula da Eficácia da Cobrança” é um indicador financeiro utilizado para avaliar o desempenho e a eficácia de uma empresa na gestão da cobrança das suas dívidas pendentes. Esta fórmula fornece uma visão clara e quantitativa da capacidade da empresa para recuperar o dinheiro devido pelos seus clientes durante um período específico.

A fórmula é normalmente calculada da seguinte forma:

Índice de eficácia da cobrança (CEI) = [(Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Vendas a receber finais) / (Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Vendas incobráveis no final do período atual)]] × 100

O resultado desta fórmula é expresso em percentagem, indicando o sucesso relativo da empresa na cobrança de dívidas. Quanto maior for a percentagem obtida, maior é a eficácia da empresa na cobrança das suas dívidas.

O que é o rácio de eficácia de cobrança?

O Rácio Internacional de Eficiência na Cobrança de Dívidas é um indicador financeiro que avalia a eficiência de uma empresa no processo de cobrança e recuperação de dívidas pendentes. É calculado dividindo o montante total das dívidas efetivamente cobradas durante um determinado período pelo montante total facturado aos clientes no mesmo período, sendo depois expresso em percentagem.

(Montante cobrado / Montante total facturado) x 100

O resultado obtido representa a proporção de dinheiro que a empresa conseguiu recuperar em relação ao total das dívidas facturadas aos clientes. Um rácio de eficiência de cobranças mais elevado indica uma maior eficiência na gestão das cobranças, o que significa que a empresa tem tido mais sucesso na recuperação do dinheiro devido.

O que é um bom rácio de eficácia das cobranças?

O rácio de eficiência na cobrança de dívidas é fundamental para avaliar a eficácia e eficiência de um credor na cobrança de dívidas pendentes. Determinar o que é considerado uma boa percentagem de eficiência é crucial para medir o desempenho financeiro e estabelecer objectivos realistas.

Embora não exista um valor único que seja universalmente aplicado como padrão para todas as empresas, de um modo geral, uma boa percentagem de eficiência na cobrança de dívidas ronda os 80% a 90%. Isto significa basicamente que a empresa conseguiu recuperar 80% a 90% do total das dívidas pendentes num determinado período de tempo.

No entanto, é importante ter em conta que o conceito de uma “boa percentagem” pode variar consoante o sector, a dimensão da empresa e outros factores específicos. Por exemplo, alguns sectores que lidam com dívidas de alto risco podem ter percentagens de eficiência mais baixas, mas ainda assim serem consideradas aceitáveis no seu contexto.

Um rácio de eficiência elevado melhorará significativamente o fluxo de caixa e a saúde financeira da empresa. A monitorização regular da percentagem de eficiência da cobrança de dívidas e a sua comparação com outros objectivos e com o desempenho passado ajudará a identificar oportunidades de melhoria e a implementar estratégias adequadas.

Vantagens da medição?

A implementação da fórmula de eficiência de cobrança e do rácio de eficiência de cobrança oferece uma série de benefícios significativos para as empresas e organizações que pretendem melhorar a sua gestão de cobranças e reforçar a sua posição financeira. De seguida, destacamos os principais benefícios da utilização de ambas as métricas:

Avaliação exacta do desempenho financeiro

Tanto a fórmula de eficácia das cobranças como o rácio de eficácia das cobranças fornecem medidas quantitativas e objectivas do desempenho das cobranças. Estas métricas permitem às empresas avaliar com precisão a eficiência da cobrança de dívidas, o que facilita a identificação de áreas de melhoria e a definição de objectivos realistas.

Tomada de decisões informada

Ao dispor de dados concretos sobre a eficácia da cobrança de dívidas, as empresas podem tomar decisões financeiras informadas e estratégicas. Estas métricas ajudam-nas a identificar padrões de comportamento, a ajustar as políticas de crédito e a criar e estabelecer estratégias de cobrança mais eficazes.

Melhorar o fluxo de caixa

A utilização de ambas as métricas contribui para melhorar o fluxo de caixa da empresa. Uma maior percentagem de eficiência na cobrança de dívidas traduz-se numa disponibilidade de fundos mais sólida para financiar operações e projectos futuros.

Reforço das relações com os clientes

Ao ter uma visão clara da eficácia do processo de cobrança, as empresas podem implementar abordagens mais personalizadas e abrangentes à gestão da dívida. Este facto pode melhorar as relações com os clientes, uma vez que estes sentem que são tratados de forma justa e com respeito durante o processo de cobrança.

Reduzir os riscos financeiros

A avaliação regular da eficácia da cobrança de dívidas ajuda a identificar potenciais riscos de crédito e contas em atraso numa fase inicial. Isto permite que as empresas tomem medidas preventivas para minimizar as perdas e os riscos financeiros a longo prazo.

Definição de objectivos e acompanhamento dos progressos

Estas duas métricas fornecem uma base sólida para a definição de metas e objectivos específicos de cobrança. Ao monitorizar continuamente o desempenho através destas métricas, as empresas podem acompanhar o seu progresso e fazer os ajustes necessários para atingir os seus objectivos financeiros.

Identificar áreas de melhoria

Ao medir o desempenho das cobranças, é possível identificar áreas que requerem melhorias ou ajustes nas estratégias de recuperação.

Aumento da eficiência operacional

Uma gestão eficaz das cobranças reduz o tempo e os recursos gastos nos processos de cobrança, o que melhora a eficiência operacional global.

Melhoria da notação de crédito

Um bom registo de cobranças pode melhorar a notação de crédito de uma empresa e facilitar futuras negociações e acordos financeiros.

Aumento da rentabilidade

Uma cobrança de dívidas mais eficaz traduz-se num aumento do rendimento líquido, o que contribui para a rentabilidade da empresa.

Componentes da fórmula de eficácia das cobranças?

A fórmula da eficácia das cobranças é composta por três elementos, cuja combinação permite calcular a eficácia global da gestão das cobranças. De seguida, descrevemos cada um dos elementos:

Contas a receber iniciais

Este é o montante total de dinheiro devido à empresa pelos clientes no início do período que está a ser avaliado. É o saldo acumulado das dívidas pendentes.

Vendas a crédito

Representa o montante total das vendas que a empresa efectuou aos seus clientes a crédito durante esse período. Por outras palavras, as vendas pelas quais os clientes não pagaram no momento da compra, mas foram autorizados a pagar numa data posterior.

Contas a receber finais

É o montante total de dinheiro devido à empresa pelos clientes no final do período que está a ser avaliado. É o saldo das dívidas pendentes após as cobranças e os pagamentos terem sido efectuados.

Vendas incobráveis no final do período corrente

A parte das vendas a crédito que se estima ser incobrável no final do período estabelecido.

A fórmula seria a seguinte:

CEI = [(Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Contas a receber finais) / (Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Vendas incobráveis no final do período corrente)]] × 100

Como calcular a eficácia da cobrança?

O CEI é uma métrica muito poderosa que permite avaliar a eficiência global de um grupo de empresas ou sucursais na recuperação de dívidas. É muito importante saber como o calcular para tirar o máximo partido dele. Segue-se um cálculo passo a passo:

Passo 1: Reunir as informações necessárias

Obter o valor inicial do Contas a Receber de todas as empresas ou filiais envolvidas na análise. Este valor representa o saldo total de dívidas pendentes no início do período que pretende avaliar.

Obter as Vendas a Crédito de todas as empresas ou sucursais durante o mesmo período. Este valor representa o total de vendas efectuadas a crédito.

Obter as Contas a receber finais de todas as sociedades ou sucursais no final do período que está a avaliar. Este é o saldo total das dívidas pendentes no final do período.

Certifique-se de que tem as vendas incobráveis no final do período atual para todas as empresas ou sucursais. Este valor representa o total de vendas que não são recuperáveis no final do período.

Passo 2: Adicionar os valores para todas as empresas ou sucursais

Adicione os valores para a “Quantia inicial de contas a receber”.

Adicione os valores para o “Montante de vendas a crédito”.

Adicione os valores para o “Montante final das contas a receber”.

Adicione os valores para o “Montante de vendas incobráveis no final do período”.

Passo 3: Calcular a fórmula do IRB

Substitua os valores obtidos nos locais correspondentes para calcular o Índice de Eficácia Colectiva (ICE):

ICE = [(Soma do Valor das Contas a Receber de Início Soma do Valor das Vendas a Crédito – Soma do Valor das Contas a Receber de Fim de Período) / (Soma do Valor das Contas a Receber de Início Soma do Valor das Vendas a Crédito – Soma do Valor das Vendas Incobráveis de Fim de Período)]] × 100

Passo 4: Efetuar os cálculos

Efectue as operações matemáticas de adição e subtração de acordo com a fórmula para obter o numerador e o denominador da fração.

Passo 5: Dividir e multiplicar

Dividir o numerador pelo denominador e multiplicar o resultado por 100 para obter o CEI.

Passo 6: Interpretar o resultado

O resultado obtido é o Índice de Eficácia Colectiva (ICE) expresso em percentagem. Esta percentagem representa a eficiência do grupo de empresas ou sucursais na recuperação das suas dívidas pendentes durante o período analisado.

Exemplos

Exemplo 1: Grupo de Filiais de uma Empresa de Retalho

Imaginemos que uma empresa de retalho tem várias filiais em diferentes cidades. O diretor financeiro pretende avaliar a eficácia das sucursais na recuperação de dívidas durante o último trimestre. Os dados relativos a três das sucursais são apresentados em seguida:

Filial A

Valor inicial das contas a receber: $50.000

Valor das vendas a crédito: $100.000

Valor final das contas a receber: $10.000

Valor das vendas incobráveis no final do período: $2.000

Filial B

Valor inicial das contas a receber: $40.000

Valor das vendas a crédito: $80.000

Valor final das contas a receber: $12.000

Montante de vendas incobráveis no final do período: $1.000

Filial C

Valor inicial das contas a receber: $60.000

Montante de vendas a crédito: $120.000

Valor final das contas a receber: $8.000

Valor das vendas incobráveis no final do período: $3.000

Passo 1: Calcular a soma dos montantes por ramo

  • Soma do valor inicial das contas a receber: $50.000 $40.000 $60.000 = $150.000
  • Soma das vendas a crédito: $100.000 $80.000 $120.000 = $300.000
  • Soma do valor final das contas a receber: $10.000 $12.000 $8.000 = $30.000
  • Soma do valor das vendas incobráveis no final do período: $2.000 $1.000 $3.000 = $6.000

Passo 2: Calcular o IEC

Utilizando a fórmula do IEC:

CEI = [(150.000 300.000 – 30.000) / (150.000 300.000 – 6.000)] × 100

CEI = (420.000 / 444.000) × 100

ICE = 94,59%.

Resultados:

O Índice de Eficácia Colectiva (ICE) para este grupo de balcões é de 94,59%. Isto indica que o grupo de balcões foi altamente eficiente na recuperação das suas dívidas pendentes durante o último trimestre.

Exemplo 2

Suponha que estamos a analisar a eficiência da cobrança de dívidas da Empresa XYZ para o mês de junho. Temos os seguintes dados:

Contas a receber iniciais (no início de junho): $100,000

Vendas a crédito durante junho: $50.000

Contas a receber finais (no final de junho): $80,000

Vendas incobráveis no final do período atual: $5.000

Etapa 1: Calcular o numerador da fórmula CEI

Numerador = (Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Contas a receber finais)Numerador = ($100.000 $50.000 – $80.000)

Numerador = $70.000

Etapa 2: Calcular o denominador da fórmula CEI

Denominador = (Vendas a crédito de contas a receber iniciais – Vendas incobráveis no final do período atual)

Denominador = ($100.000 $50.000 – $5.000)

Denominador = $145.000

Etapa 3: Calcular o CEI

CEI = (Numerador / Denominador) × 100

CEI = ($70.000 / $145.000) × 100

CEI ≈ 48,28%.

Neste exemplo, o Índice de Eficácia de Cobrança (CEI) da Empresa XYZ para o mês de junho é de aproximadamente 48,28%. Isto significa que, durante o mês de junho, a empresa XYZ conseguiu cobrar cerca de 48,28% do total da dívida pendente, tendo em conta as vendas a crédito e os ajustamentos para vendas incobráveis. Um ICE mais elevado indicaria um processo de cobrança de dívidas mais eficiente, enquanto um ICE mais baixo sugeriria a necessidade de melhorias nos esforços de cobrança.

Melhores práticas para melhorar a eficácia da cobrança

A gestão eficaz das cobranças é fundamental para manter a estabilidade financeira de qualquer empresa ou organização. Melhorar a eficácia da cobrança de dívidas requer a implementação de práticas estratégicas e direccionadas. Eis algumas das melhores práticas que podem ajudá-lo a conseguir uma gestão de cobranças mais bem sucedida:

Políticas de crédito claras e bem definidas

Estabelecer políticas de crédito sólidas e claras desde o início é essencial para evitar futuros problemas de cobrança. Definir limites de crédito adequados para cada cliente e avaliar a sua capacidade de pagamento ajudará a reduzir o risco de contas incobráveis.

Comunicação proactiva

É essencial manter uma comunicação proactiva com os clientes. O envio de lembretes e notificações amigáveis das datas de vencimento antes do fim dos prazos de pagamento pode incentivar o cumprimento atempado.

Oferecer incentivos para pagamentos antecipados

Motivar os clientes a pagar antes da data de vencimento através de incentivos, como descontos por pagamento antecipado, pode encorajar o cumprimento atempado e melhorar a recuperação de dívidas.

Acompanhamento constante

O acompanhamento contínuo das contas pendentes e a manutenção de um registo detalhado das interacções com os clientes permitir-lhe-ão detetar rapidamente potenciais problemas e resolvê-los de forma proactiva.

Acordos de pagamento flexíveis

Oferecer opções flexíveis de acordos de pagamento adaptadas às necessidades individuais dos clientes pode ajudar a evitar incumprimentos e facilitar a recuperação de dívidas.

Automatização de processos

A implementação de sistemas de gestão de cobranças e a automatização de tarefas repetitivas optimizam a eficiência do processo de cobrança, permitindo que seja dada maior atenção aos casos mais complexos e de alto risco.

Formação do pessoal

A formação adequada dos membros da equipa de cobrança é essencial para melhorar as suas capacidades de negociação e de lidar com situações difíceis, o que lhes permitirá ser mais eficazes no processo de recuperação de dívidas.

Segmentação das dívidas

A segmentação das dívidas em função da sua antiguidade e do seu risco permite hierarquizar a gestão e concentrar os recursos nas contas que necessitam de uma atenção mais urgente.

Colaboração com o departamento comercial

Uma boa comunicação e colaboração entre o departamento comercial e o departamento de cobranças pode ajudar a evitar a geração de novas dívidas problemáticas e a identificar potenciais problemas de cobrança numa fase inicial.

Externalização das cobranças

Nos casos em que a empresa enfrenta dificuldades na recuperação de dívidas internamente, considerar a possibilidade de subcontratar cobranças a agências especializadas pode ser uma opção eficaz para obter resultados mais rápidos e eficientes.

Conclusão

No processo de manutenção da saúde financeira de uma empresa, uma gestão de cobranças eficaz desempenha um papel fundamental. Neste artigo, explorámos duas ferramentas fundamentais para avaliar e melhorar a eficácia das cobranças: o Índice de Eficácia das Cobranças (CEI) e o Rácio de Eficácia das Cobranças.

Estas métricas financeiras são essenciais para medir a forma como uma empresa está a recuperar os seus créditos pendentes e para avaliar o seu desempenho nesta área. Ambas as fórmulas baseiam-se na análise de componentes-chave, tais como o montante recuperado, o saldo inicial das contas a receber e as vendas incobráveis no final do período, proporcionando uma visão abrangente do processo de cobrança.

Em suma, o CEI e o Rácio de Eficácia das Cobranças são ferramentas poderosas que permitem uma visão clara do desempenho financeiro de uma empresa em termos de cobranças. Ao calcular e aplicar estas métricas em conjunto com as melhores práticas acima mencionadas, as empresas podem reforçar a sua posição financeira, otimizar o fluxo de caixa e manter uma forte relação com os clientes. Uma melhor gestão das cobranças não só beneficia a própria empresa, como também é um indicador de uma boa gestão financeira e de uma operação comercial bem sucedida.

Siga osconselhos da Oddcoll neste artigo.

4 minutos de leitura.

Quais os regulamentos aplicáveis.
O processo internacional de cobrança de dívidas.
Como conseguir uma cobrança de dívidas eficaz.

A Oddcoll é uma plataforma com cobradores de dívidas de todo o mundo, que permite às empresas de vocação internacional recuperar facilmente as suas facturas em atraso.

Países abrangidos

Cobrimos toda a Europa

Ásia Central

Cobrança de dívidas Arménia
Cobrança de dívidas Azerbaijão
Cobrança de dívidas Geórgia
Cobrança de dívidas Cazaquistão

Cobrança de dívidas Quirguizistão
Cobrança de dívidas Mongólia
Cobrança de dívidas Tajiquistão
Cobrança de dívidas Uzbequistão

Oceânia

Todos os países em África

Aplica-se a todos os nossos parceiros

– Autorização legal para cobrar créditos nos seus países
– Especialistas em cobranças B2B
– Comunicação em inglês
– Peritos na legislação nacional de cobrança de dívidas

RELATED ARTICLE  O que é uma agência de cobrança de dívidas e como funciona 2024
WordPress Image Lightbox Plugin